Letras são como estrelas, a guiar o viajante disperso, a uma praia, porto, lugar qualquer, onde possa raiar o dia, onde almas, mentes, corações, possam se encontrar, viver um espaço de beleza maior...

31 de ago de 2010

Som e Luz, para Daniel Namkhay


Eu Sou Som,
o som da vida que canta nas folhas das árvores,
nas preces do vento,
no canto dos pássaros,
no Verbo Divino,
que toca em meu coração,
e no teu também...

O Som é Luz e Eu Sou Luz,
A luz que brilha além,
em todas as estrelas e sóis,
a luz que ilumina meu dia,
e o teu também...

O Som é a música das esferas,
é a dança intergaláctica do universo...

Eu Sou a música, Eu Sou a Dança Cósmica,
Assim como giram as estrelas no céu,
assim como giram os planetas e galáxias,
como giram os átomos e elétrons do universo,
eu danço, eu canto,
para festejar a Vida!

Por que Eu Sou o tom que vibra,
Sou a partícula Luminosa,
Sou a canção do Universo,
Sou a dança da perene Alegria.

Mesmo que vestidos em panos de carne,
por dentro, tudo que há,
é Som e Luz
em perfeita sintonia!

Ana Liliam

Daniel Namkhay é músico, e utiliza instrumentos neo-primitivos para fazer canções de grande beleza e cura para a Terra e todos nós. Saiba mais no site www.danielnamkhay.com.br

14 de ago de 2010

Acorda-me

Ah minha amada!
Por que te mexes assim,
nem manhã é ainda
e já queres despertar
de teu sono milenar...

Mas se te mexes
sacode meu corpo
e já não posso dormir...
De meu sono me tiras
e já me sinto algo intranquila!

É que sei que quando despertas,
é como a terra a sacudir inteira,
é vulcão a explodir,
é incêndio a consumir...

E lá vou eu em teus passos,
que já não posso contradizer,
tudo o que me tens a dizer...
Afinal agora posso compreender,
não é meu pequeno eu a escolher,
é a Vida que se inflama em meu ser...

Minha querida,
minha alma antes esquecida,
se me chamas é para que eu siga,
se me chamas,
e para que eu viva!

E já não tenho escolha,
tu em minhas veias desperta,
e saio da morte em vida,
para viver a grande Lida!

Ana Liliam

12 de ago de 2010

Eros e Psique, Fernando Pessoa


Conta a lenda que dormia
Uma Princesa encantada
A quem só despertaria
Um Infante, que viria
De além do muro da estrada.

Ele tinha que, tentado,
Vencer o mal e o bem,
Antes que, já libertado,
Deixasse o caminho errado
Por o que à Princesa vem.

A Princesa Adormecida,
Se espera, dormindo espera,
Sonha em morte a sua vida,
E orna-lhe a fronte esquecida,
Verde, uma grinalda de hera.
Longe o Infante, esforçado,
Sem saber que intuito tem,
Rompe o caminho fadado,
Ele dela é ignorado,
Ela para ele é ninguém.

Mas cada um cumpre o Destino
Ela dormindo encantada,
Ele buscando-a sem tino
Pelo processo divino
Que faz existir a estrada.

E, se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada fora,
E falso, ele vem seguro,
E vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora,

E, inda tonto do que houvera,
À cabeça, em maresia,
Ergue a mão, e encontra hera,
E vê que ele mesmo era
A Princesa que dormia.

enviado por Lu
Related Posts with Thumbnails