Letras são como estrelas, a guiar o viajante disperso, a uma praia, porto, lugar qualquer, onde possa raiar o dia, onde almas, mentes, corações, possam se encontrar, viver um espaço de beleza maior...

29 de out de 2011

Guardiã da luz


Sou faca afiada
bisturi cirúrgico
a cortar tua carne
a trazer tuas feridas à superfície...
E não é por que te quero mal
pois te quero tanto bem quanto a mim mesma...
É por que sou teu desafio
a pedra de teu sapato
o pisão no teu calo
a te acordar
te despertar
no depertador inclemente da dor...
Sou tua deusa abrasadora
teu amor e loucura
tua santa e pecadora
a guardiã da tua luz...
E se te abro a carne
viro-te e reviro do avesso
é ainda com amor que te faço...
Para depois lamber te as feridas abertas
aninhar-te em meus braços
cobrir-te com meus beijos
curar-te com meu amor...
Pois que tu também
provoca-me em minha dor
envolve-me em minhas sombras
somente para que eu veja
para que eu cure
as feridas que eu trago na alma
inclementes...
Veja bem meu bem
tu também és
meu deus purificador.

Ana Liliam

26 de out de 2011

Para que me leves


Fecho meus olhos
e dou minhas mãos a ti
meu amigo, irmão
para que me leves por aí,
em busca de mim mesma,
das partes perdidas
esquecidas algures,
cujo mapa a tempos já perdi ...
E tu, que és bom e és forte,
revela em mim o que não sei ver,
sendo meus olhos procura por mim,
e se me calo,
pergunta.
Sozinha não vou a lugar algum,
e não acho nada do que se acha perdido
aqui mesmo,
aqui dentro.
Preciso do teu coração quente,
da claridade dos teus olhos,
e da força dos teus braços.
Sei que tudo já está realizado,
desde sempre,
mas desde que meus olhos vendei neste mundo,
nada mais sei.
Então confio em ti,
onde Deus colocou uma chama a me guiar,
para que guie meus passos
a um dia ensolarado
nas dobras de uma alma,
a tanto tempo aguardado...

Ana Liliam

Ironia do tempo


Por Marton Olympio

...E o homem olhou o tempo. E o tempo todo olhava o homem. E marcaram de se encontrar em minutos. Levaram horas. Sempre o homem atrasava ou o tempo passava rápido demais. O homem queria levar metade do tempo para tudo. Neste meio tempo, não conseguia fazer nada. O homem que construiu dinheiro, fama, poder reclamava o tempo todo. Um dia o tempo desistiu. E parou de passar. E o homem nunca mais encontrou tempo para nada...

25 de out de 2011

ALQUIMISTA DO SER



Como um alquimista eu sou,
Vivo buscando a transformação
Do que é no que pode ser melhor...

Mergulho fundo em mim mesma,
Tentando compreender
Todos os porquês do ser...

Nesta eterna busca
Eis que me descubro
Uma estrela, e me deslumbro...

Porém meio estrela, meio humana,
Luz em carne, osso e sangue,
Inteira, plena,
Meio divina, meio terrena...

Melhor não há de ser,
Alquimista como sou
Transformo a vida,
E hoje sou alegria!

Mas de nada adiantaria
Esta magia,
Se não fosse para reparti-la,
Com amor em minha vida!

Ana Liliam


19 de out de 2011

CHUVA


Sou água,
Amo toda água que corre,
Nas matas, nos rios,
Nos mares que há,
Dentro e fora de meu coração.

Amo as chuvas,
Que lavam, que levam,
Todas tristezas e amarguras,
Que lavam as almas,
Que levam as mágoas.

Amo as tempestades,
Que estremecem,
Ecoam em nosso ser,
Despertam a alma adormecida,
Arrastam inclementes pensamentos e dores esquecidas...

A chuva que molha e transborda,
Colore de arco-íris o céu nebuloso...
A chuva que como sêmen precioso,
Fecunda a terra,
Inundando-a de prazer!

Que a abençoada chuva
A minha alma encharque,
Transborde de prazer e de desejo
A minha alma sedenta,
Fecunde de amor e alegria minha vida!

Ana Liliam


18 de out de 2011

Reportagem no Jornal de Santa Catarina


 

Sob o sol do início da primavera, garis dividem-se para limpar a Praia Central de Balneário Camboriú. Na altura da Rua 2.000, um deles usa o rastelo e o sorriso largo para fazer mais do que o próprio trabalho. Todas as manhãs, ele escreve na areia um enorme bom dia. Encontrá-lo foi questão de minutos. A simpatia o denuncia.
Em meio a um grupo de idosos que praticavam atividades físicas à beira mar, lá estava Martins. Sorrindo, trabalhava e ganhava elogios pela arte recém traçada.
— Eu escrevo para animar. Às vezes vejo pessoas tristes pelos bancos da praia e acho que dessa maneira posso ajudar — conta o simpático homem de 45 anos.
O artista encanta quem mora nos arranha-céus da Avenida Atlântica e aos que visitam a orla. Os frequentadores mais assíduos já o batizaram de Amarelinho, inspirados na cor do uniforme que ele usa para trabalhar:
— Até os moradores dos prédios já me conhecem. De vez em quando um grita lá de cima "bom dia Amarelinho".
A cena também interrompe o passo sem pressa da moradora de Londrina (PR) Maria de Lourdes. De férias, ela caminhava com o olhar vago em direção ao mar quando encantou-se pelo bom dia de Martins. Feliz, seguiu em direção ao gari e o abraçou.
— Achei fantástico. Eu li o bom dia em vários pontos da praia e fiquei imaginando quem seria a pessoa que fez isso. Com certeza este homem ama muito a vida — opina emocionada.
Bom dia na areia é lição de vida
A atitude rendeu ao gari novas amizades. Para o comerciante, Lauro de Menezes Andrade, 38 anos, Martins é um exemplo.
— Ele não ganha nada a mais para escrever o bom dia na areia. Daí a gente para pensar né? Tem dias que acordamos e nem damos bom dia para quem mora com a gente. Para mim foi uma lição_ revela.
Lição que não será esquecida pela moradora de Balneário Camboriú, Solange Mello, 65. No dia em que conheceu Martins, na Praia Central, até o humor mudou.
— Que coisa mais linda isso que ele faz. Que criatura iluminada. Com certeza o dia fica melhor. Fica um bom dia — disse sorrindo, depois de cumprimentar o gari.

VIVA A VIDA DA MELHOR MANEIRA POSSIVEL.
É O QUE VOCE TEM DE MELHOR VALOR HOJE, AJUDANDO, RINDO,
BRINCANDO, CONTRIBUINDO PARA QUE OUTROS POSSAM TAMBEM SORRIR E TER UM BOM DIA!!!
enviado por Rogério 

16 de out de 2011

CORAÇÃO DE BAILARINA

           

            A jovem bailarina se apronta,
Olha-se no espelho,
E vêm então os primeiros passos.
Lentamente, um após o outro,
Somam-se giros,
E os braços se abrem
Abraçam o ar...
A respiração acelera,
O coração ritmado,
E em movimentos precisos,
Executados por músculos treinados,
A jovem bailarina
Se desenvolve,
Ocupa todo o espaço...
Por um instante fecha seus olhos,
E se sente um pássaro livre a voar...
Por um instante o tempo já não se faz presente,
Ela é agora um planeta livre no cosmos
A girar...
Já não importam os pés a doer,
Naquele mágico momento,
Pressente,
A vida dentro de si a bailar...
                                                      Ana Liliam
         

14 de out de 2011

Vida



Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas
que eu nunca pensei que iriam me decepcionar,
mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
e amigos que eu nunca mais vi.

Amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
e quebrei a cara muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi!
E ainda vivo!
Não passo pela vida.

Viva!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é muito para ser insignificante.

Augusto Branco
enviado por Irene

9 de out de 2011

O VÔO DA ÁGUIA

 

Sou sonhadora como a noite
Que estrelada nos faz viajar por outros mundos
Outros céus...
Sou como ave que voa alto
Que observa a vida com os olhos de uma águia...

Lá do alto observo
Presente, passado e futuro
A se unirem numa mesma linha
Espiralada e luminosa
Que no espaço desenrola
Nossos dramas e destinos...

No alto dos meus sonhos
A realidade transformo...
Dores em flores,
Flores em mais amores...
Mas já não basta sonhar
É preciso viver uma vez ainda...

Do alto de meu sonhos
Agora pouso em solo seguro...
Sei que meus pés irão tocar as pedras do caminho
Sei que minhas mãos irão alcançar
As flores, e talvez seus espinhos
Mas assim é preciso...

Do alto dos meus sonhos
Da noite estrelada
Levo agora a esperança
Da luz encarnada...
Já não basta sonhar
É preciso viver
Uma vez ainda...

Ana Liliam

7 de out de 2011

EDUARDO GALEANO, O DIREITO AO DELÍRIO

 

 

Que tal começarmos a exercer
O direito de sonhar?
Que tal se delirarmos um pouquinho?

No próximo milênio, o ar estará limpo
de todo veneno
O televisor deixará de ser
o membro mais importante da família
As pessoas trabalharão para viver,
em vez de viver para trabalhar.

Os economistas não chamarão
nível de vida o nível de consumo,
nem chamarão qualidade de vida
a quantidade de coisas.

Ninguém será considerado herói
ou tolo só porque faz aquilo que
acredita ser justo, em vez de fazer
aquilo que mais lhe convém.

A comida não será uma mercadoria,
nem a comunicação um negócio,
porque comida e comunicação
são direitos humanos.

A educação não será um privilégio
apenas de quem possa pagá-la.
A polícia não será a maldição daqueles
que não podem comprá-la.

A justiça e a liberdade,
irmãs siamesas
condenadas a viverem separadas,
voltarão a juntar-se, bem unidas
ombro com ombro.
E os desertos do mundo e os desertos
da alma serão reflorestados.

Eduardo Hughes Galeano
* Montevidéu, Uruguai – 03 Setembro 1940, enviado por Daniela

5 de out de 2011

Amizade



"Toda amizade é uma história particular. É uma história de conquista. Primeiro, descobre-se o outro. Todo mundo parece igual, mas não é. E é justamente essa coisinha diferente em cada um que torna cada pessoa única. E de repente ali está a sementinha da amizade fecundada.

A gestação começa. A sensibilidade do outro nos toca. Dá até vontade de chorar. Não sabemos direito o porquê de nos sentirmos próximos de alguém assim tão longe, tão diferente e tão igual. Mas amizade, como o amor, não se questiona. Vive-se. Dela e pra ela. Bendita seja essa gestação amiga! Sem prazo, sem tempo, sem hora marcada!

Bendita seja essa amizade, prova de que Deus se faz conhecer através das pessoas que alcançam nosso coração."

Autor desconhecido, enviado por Irene

4 de out de 2011

VIDA


Faço as pazes com a vida,
Já não lhe chamo madrasta,
Mas amiga...
A liberdade dos meus sonhos me chama,
A verdade em meu coração conclama,
Já não há porque fugir,
Não há o que mais temer,
A vida é sinfonia
Do Universo em harmonia...

Busco a dança do meu ser
Nos passos desta vida.
A música que embala
Um coração enamorado,
Pela chama que jazia adormecida...
Vida que é dança,
Sintonia,
Na liberdade outrora cativa...

Ana Liliam


3 de out de 2011

O CAMINHO DO MEIO




Novamente como uma águia voei,
E do alto de meu vôo
Minha paisagem olhei.
E pude ver as muitas mulheres que sou,
As muitas que um dia fui...

As mulheres que amaram demais,
As que não amaram jamais,
Que se perderam no caminhar...
E em todas me reconheci,
E no desejo e no erro de todas
Descobri
O ensejo de ser,
De descobrir,
O verdadeiro amor,
O verdadeiro amar...

Do alto de meu vôo,
Vi os rios que correm para o mar,
Vi os meandros de seus cursos
Em voltas sem fim
A encontrarem o mar por fim.

Do alto de meu vôo
Procuro também meu caminho
Um caminho que passe pelo meio,
Que desvie das dores e dos erros
Que no passado conheci...

Na terra de meus desvelos
Procuro um caminho de amar,
Que de tão novo
Ainda não sei aonde vai dar,
Quem sabe no grande mar...

Ana Liliam

2 de out de 2011

LUZES INSUSPEITAS



Danço a luz de meu computador
Agora fiel ouvinte de minhas confissões...
Sonhos e luzes de uma alma que caminha...
Eis que na parede de meu quarto
A sombra de um gigante agora dança
Na liberdade de todos os gestos...

Mas o que vejo é somente a sombra
De uma luz grandiosa,
Que serpenteia luminosa,
Em um coração ansioso
De despertar em aurora insuspeita,
No quarto de meu Ser.
Ana Liliam
Related Posts with Thumbnails